No contexto da pandemia, muitas escolas e universidades se voltaram para os ambientes virtuais de aprendizagem como a única maneira de garantir certa continuidade educativa nesses tempos desafiadores. Ainda que muitos educadores, alunos e demais membros da comunidade educacional já estavam minimamente familiarizados com as práticas de aprendizagem e as tecnologias de ensino on-line, a mudança foi repentina.

Projetar e implementar um programa de aprendizagem on-line de sucesso é algo que leva tempo. Dependendo da quantidade e da idade dos alunos, do acesso ao treinamento e às tecnologias, bem como de vários outros recursos, isso pode levar desde algumas semanas a até um ano. A maioria dos educadores teve apenas alguns dias para descobrir como fazer isso. Por sorte, os professores são engenhosos e os alunos, resilientes. Eles improvisaram soluções enquanto lidavam com as mudanças rápidas, e o ensino continuou acontecendo remotamente.

À medida que entramos em um novo ano letivo, as instituições de ensino ainda precisam resolver questões complexas: medidas físicas adequadas, regras de higiene mais rigorosas, como dar continuidade ao currículo, como lidar da melhor forma possível com os aspectos de saúde mental dos alunos e educadores etc.

Mas um aspecto está claro: o ensino on-line veio para ficar. Os alunos e professores podem se valer dos ambientes virtuais de aprendizagem para realizar todas as atividades de aprendizagem. A pandemia deixou claro que o ensino on-line pode ser mais do que apenas um plano B de emergência. Em vez disso, ele pode fazer parte da educação como um todo.

A criação de uma estratégia eficaz de tecnologia educacional para a reabertura das escolas

Os aspectos negativos e as consequências da ameaça invisível à saúde que tomaram conta do nosso mundo são inquestionáveis e inegáveis. Mas agora temos uma oportunidade única de realizar avanços, projetando um sistema de ensino melhor. Se espera que esse sistema seja mais abrangente e inclusivo, que possa ser acessado a qualquer hora, em qualquer lugar, sem comprometer a qualidade e, sobretudo, que seja à prova de obsolescência.

A tecnologia educacional não é algo novo. Ela não foi criada para competir com o ensino tradicional; mesmo que alguns educadores se sintam dessa forma. Foi criada para colaborar com ele.

A tecnologia educacional pode reduzir em grande medida a carga administrativa da escola por meio de diversos sistemas e processos automatizados. Por exemplo, ela pode facilmente cuidar de todos os cronogramas escolares, alertar os gestores da escola sobre qualquer problema, dar a eles tempo para reagir antes que o problema piore, além de fornecer dados valiosos, fundamentais para um melhor processo de tomada de decisão.

Além disso, a tecnologia educacional pode ser usada de várias formas para aguçar a curiosidade, apoiar o processo de aprendizagem e avaliar o domínio que os alunos têm dos conceitos, tudo isso enquanto os mantém envolvidos em todas as etapas do trajeto.

O único ponto a considerar é que a simples presença da tecnologia educacional em um ambiente escolar não garante nada. Em vez disso, a forma como ela é usada é o indicador real dos resultados de sucesso. Por isso, é de suma importância identificar e escolher a tecnologia educacional certa para atender às necessidades da escola, já que, do ponto de vista acadêmico, os professores precisam usá-la com eficácia em suas salas de aula para que os alunos possam realmente se beneficiar dela.

Seis práticas que tornam um AVA fundamental para uma estratégia de e-learning eficaz

Um ambiente virtual de aprendizagem (AVA) é uma das soluções de tecnologia educacional mais completas em que as instituições de ensino podem confiar ao criar uma estratégia de ensino à prova de obsolescência. Veja como ele pode ajudar:

  1. Centralize todos os recursos de aprendizagem

    Os educadores podem usar o AVA da escola como um repositório central de todos os materiais de aprendizagem. Cada professor tem a possibilidade de carregar qualquer tipo de arquivo digital (texto, áudio, vídeo, gráfico, link da web etc.) para cada lição criada. Em seguida, eles podem disponibilizar esses recursos somente para os alunos que precisam acessá-los, além de poder reutilizar e atualizar os mesmos materiais todos os anos. Como bônus, é possível compartilhar esses recursos com outros professores que ensinam a mesma matéria na escola ou na rede de escolas que usam o mesmo AVA.


    Leia mais: Adotando a mentalidade assíncrona para um ensino online melhor


  2. Aumente o envolvimento dos alunos

    Os alunos têm diferentes necessidades de aprendizagem e, portanto, aprendem de diversas formas. Mas a verdade é que aprendem melhor quando estão interessados em um assunto específico. Eles também têm maior sucesso quando se envolvem em uma competição saudável. Os professores podem aguçar o interesse em um assunto incluindo diversos materiais de aprendizagem em suas lições on-line e tornando a aprendizagem mais interativa por meio das diversas ferramentas de colaboração de um AVA. Eles também podem incluir elementos gamificados, como pontos, medalhas, placares de liderança ou troféus ao longo de cada lição ou de todo o curso, incentivando os alunos a competir entre si ou apenas consigo mesmo.


    Leia mais: Gamificação na sala de aula: pequenas mudanças e grandes resultados


  3. Faça recomendações personalizadas

    O progresso escolar é específico para cada indivíduo. Por isso, os educadores devem apoiar os alunos em cada etapa da jornada. Mas com tantos alunos e tão pouco tempo, além dos diversos requisitos padrão a serem atendidos, esse é mais um desafio enfrentado pelos professores. Um AVA pode aliviar essa carga de trabalho por meio da configuração de diversas regras automatizadas. Um professor pode, por exemplo, receber uma notificação quando alguém tem dificuldade com um conceito específico em uma lição e pode intervir com recursos extras e orientação adicional para ajudar esse aluno. Além disso, alguns sistemas vêm com diversos recursos de aprendizagem adaptativa e podem fornecer automaticamente recomendações personalizadas para os alunos.


    Leia mais: Cómo utilizar el aprendizaje adaptativo para personalizar las experiencias educativas


  4. Faça avaliações mais precisas

    Avaliar o conhecimento dos alunos é uma das tarefas mais demoradas que um professor precisa fazer. Os alunos se beneficiam muito mais quando têm uma visão clara do próprio progresso escolar por meio das notas que recebem. Em um AVA, os professores podem criar diversos tipos de avaliações, dependendo do tipo de atividade e de outros fatores. Eles podem até mesmo diferenciar as avaliações para cada aluno. Tudo isso, somado à visão mais clara do progresso do aluno, torna o processo de avaliação muito mais preciso.

  5. Centralize todos os dados dos alunos

    Um AVA reúne todos os tipos de dados gerados sempre que um aluno usa o sistema, e pode até mesmo incorporar informações de ferramentas de terceiros. O próximo passo para avaliar e usar tudo isso é a geração de relatórios. Ter todos os dados em um único lugar oferece uma visão geral do desempenho do aluno dentro da escola. Os professores e gestores da escola podem tomar decisões mais sábias, desde as mais detalhas sobre um aluno em particular até as mais abrangentes, que afetam toda a escola.

  6. Leve a aprendizagem para além da sala de aula

    Com uma conexão com a internet e um computador ou dispositivo móvel, os professores e alunos podem fazer login no AVA da escola e participar de atividades de ensino e aprendizagem, quase como se estivessem na própria sala de aula. Não importa se essa é uma decisão independente ou algo imposto pelo governo, ter acesso a um AVA como plataforma de aprendizagem a distância garante que o ensino não esteja restrito às quatro paredes da sala de aula, podendo continuar on-line sem qualquer interrupção na experiência do aluno.

Reflexões finais

As escolas podem aproveitar a situação atual para implementar uma estratégia de tecnologia educacional eficaz e centralizar todos os seus recursos de aprendizagem e dados de progresso dos alunos. Isso permite que as escolas economizem tempo e façam avaliações mais precisas com mais informação, dando mais tempo para que os professores se dediquem às necessidades individuais dos alunos.

Fique por dentro! Manteremos você atualizado com as dicas e recursos EdTech mais valiosos. Inscreva-se e nunca mais perca uma postagem!