Como professor, uma das maiores alegrias é ver os olhos dos seus alunos brilharem quando aprendem algo novo. Todos nós já tivemos aquele professor que nos fez gostar de uma matéria simplesmente porque sua personalidade e entusiasmo eram suficientes para despertar nosso interesse por qualquer coisa. 

Um bom relacionamento entre professor e aluno afeta positivamente os resultados da aprendizagem, a motivação e o desenvolvimento socioemocional dos alunos. Inclusive nesses tempos incertos, quando as escolas operam pelo menos parcialmente on-line, os alunos têm expectativas sobre como devem ser as aulas on-line. Alguns podem preferir mais interação com seus professores e prosperar em um ambiente de sala de aula com amplas oportunidades de colaboração. Outros podem se sentir mais confortáveis com a aprendizagem remota. 

O ensino remoto pode ser complicado, pois construir relacionamentos em uma sala de aula virtual é uma habilidade que apenas se adquire com a experiência. Onde quer que você esteja na sua jornada de ensino on-line, ainda pode tirar o melhor proveito de qualquer situação. 

Aqui estão algumas dicas e truques que aprendi ao longo do caminho que podem tornar o cultivo de um relacionamento on-line muito mais fácil: 

1. Compartilhe feedback com os alunos

Se você omitir o feedback em uma sala de aula on-line, eles ficarão perplexos. Os alunos precisam de instruções e metas a serem alcançadas para evitar que sintam que só estão “fazendo por fazer”.

Por exemplo, você pode usar ambientes virtuais de aprendizagem escolares para deixar um feedback de texto ou voz sobre os trabalhos deles. Mensagens de voz funcionam muito bem, pois é quase como se eles pudessem sentir a sua presença. Tente torná-las o mais detalhadas e específicas possíveis, para que eles saibam o que precisam melhorar.

Melhor ainda, peça feedback aos alunos, já que eles geralmente têm ótimas ideias para tornar as aulas mais interessantes.


Leia mais: O papel do professor na sala de aula atual


2. Sempre verifique a logística primeiro

Essa etapa é importante, pois você precisa saber com o que está trabalhando, principalmente em termos de limitações. Você precisa conhecer muito bem seus alunos e suas necessidades específicas. Uma boa dica é criar um questionário anônimo para que eles respondam a perguntas sobre os dispositivos e softwares aos quais têm acesso. Tente entrar em contato com os pais, se necessário, e encontrar soluções em conjunto. 

Por exemplo, se você quiser que os alunos usem diferentes tipos de software, verifique se eles são compatíveis com vários dispositivos. Se você estiver fazendo uma apresentação de vídeo, as fontes devem ser legíveis, mesmo em uma tela pequena de telefone. Geralmente, é essencial fazer com que os alunos se sintam à vontade e não como se estivessem perdendo algo. 

3. Envolva os alunos

Um grande erro é supor que os alunos gostam de ser consumidores passivos de conteúdo on-line. Isso não poderia estar mais longe da realidade! Eles adoram interagir on-line, desde que as atividades sejam interessantes. 

Permita que os alunos façam sugestões, mesmo que elas pareçam não relacionadas ao tópico principal. Mesmo uma brincadeira on-line, como o jogo da forca, pode ser uma maneira de envolvê-los e definir o tom de toda a aula.

Por último, seja muito aberto sobre o que você deseja que eles alcancem em termos de metas de aprendizagem e sempre diga a eles por que e como essas lições os ajudarão agora e no futuro.


Leia mais: 8 Maneiras incríveis de motivar alunos online


4. Contato visual e linguagem corporal

Na ausência de um ambiente de sala de aula controlado, muitos professores ficam perdidos.  Ao ensinar em sala de aula, o contato visual é essencial para construir um relacionamento com os alunos. A linguagem corporal também é fundamental para o controle da sala de aula.

Nesse caso, você precisa aproveitar ao máximo as videoaulas, tanto as gravadas quanto as que ocorrem durante videoconferências. Tente entender o que seus alunos estão vendo enquanto acompanham você e faça os devidos ajustes. Você está falando voltado para a câmera? Suas mãos estão visíveis, para que você possa se expressar através da linguagem corporal? Em um ambiente on-line, o ritmo e o tom da voz são ainda mais importantes.

Isso também ajuda simular que você está em uma sala de aula física, o que significa que é uma boa ideia vestir-se bem e permanecer de pé, pelo menos até você pegar o jeito.

5. Abra espaço para diversão

É provável que o seu primeiro instinto seja simplesmente começar a aula, já que há muito o que fazer. No entanto, qualquer professor on-line experiente diria que é mais fácil começar devagar, seja com um jogo rápido ou dedicando alguns minutos para um bate-papo.

Você pode até mesmo notar que os alunos ficam inquietos depois de um certo tempo, então sempre há espaço para um quebra-gelo, não importa o quão boba a atividade possa parecer. Você pode participar aproveitando a oportunidade para se movimentar um pouco, já que as atividades on-line são em sua maioria sedentárias.

6. Flexibilidade é fundamental

Ensinar raramente implica seguir um roteiro. Se algo não funcionar, mude. Talvez você precise se adaptar a outros estilos, como a aprendizagem híbrida, que combina atividades assíncronas e síncronas complementares. 

Por exemplo, você pode gravar videoaulas, que os alunos assistirão como parte de seu tempo de estudo independente. Algumas escolas agora realizam sessões presenciais e por webconferência ao mesmo tempo, em rodízio, o que é uma ótima maneira de reduzir o tamanho da turma.

Resumo

Construir um relacionamento ao ensinar on-line permite que você agite as coisas. Mantenha as apresentações curtas e dedique tempo a atividades que envolvam colaboração, jogos educativos e discussões on-line. Você pode estabelecer conexões on-line autênticas, desde que os alunos sintam a sua presença e o seu apoio.

Fique por dentro! Manteremos você atualizado com as dicas e recursos EdTech mais valiosos. Inscreva-se e nunca mais perca uma postagem!