Professores e pais reclamam que os alunos de todas as idades não leem mais. Embora seja verdade que adquirimos a maioria dos nossos hábitos imitando as pessoas ao nosso redor durante a infância, também devemos saber que nossos hábitos podem mudar no decorrer da vida. Em outras palavras, é possível abandonar os maus hábitos e formar bons hábitos.

Como qualquer outra coisa, a leitura é um hábito. Você adquire o hábito de ler um pouco todos os dias quando percebe que as pessoas ao seu redor estão fazendo isso diariamente. É muito improvável que você se torne um leitor ávido em uma casa onde a TV está sempre ligada. Quer dizer, a menos que você tenha outras pessoas na sua vida que possam lhe mostrar os benefícios da leitura, como amigos, professores, avós etc.

Segundo a 5ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Instituto Pró Livro em parceria com o Itaú Cultural, a leitura dos brasileiros tem caído vertiginosamente. O tempo livre tem sido preenchido pelas redes sociais e a Internet, revelando um salto de 47% para 66% como principal atividade de lazer em relação a 2015. 34% dos entrevistados alegam falta de tempo para leitura e 5% apontam o preço alto dos livros como impedimento. Segundo a pesquisa, o brasileiro lê em média 5 livros por ano, e a Bíblia é a obra apontada como a mais lida e marcante pelos entrevistados.

Quatro soluções impressionantes de tecnologias educativas para fazer os alunos se apaixonarem pela leitura

A tecnologia pode ser útil neste caso. Ao contrário da sabedoria convencional, a tecnologia é amiga, e não inimiga, dos livros e da leitura. Vejamos alguns aplicativos que podem ajudar alunos de várias idades a se apaixonarem pela leitura:

  1. Epic!

    Um aplicativo feito especialmente para crianças de até 12 anos. Ele dá acesso ilimitado a uma ótima biblioteca de histórias bem escritas, bem-humoradas e envolventes que cativarão os jovens leitores. Os autores incluíram gamificação, com os leitores recebendo medalhas e recompensas à medida que continuam lendo. O aplicativo é gratuito para professores e bibliotecários. Outros usuários pagam US$ 7,99 por mês. Mas vale a pena! Experimente e faça a avaliação gratuita por 30 dias.

  2. TikaTok

    Não é o TikTok, a última moda entre os usuários de redes sociais durante a quarentena, mas sim o TikaTok. O aplicativo é um estúdio de edição eletrônica que permite que as crianças escrevam e ilustrem seus próprios livros em sala de aula. Com o TikaTok, as crianças podem criar livros digitais ou impressos. Que melhor maneira de fazer os alunos lerem mais do que permitir que eles escrevam histórias? Ao criarem seus próprios livros, eles se tornam mais curiosos e criativos e passam a entender melhor a importância da leitura. No TikaTok, as crianças também podem ler livros escritos por seus colegas ou professores.


    Leia mais: Seis ferramentas de narrativa digital para ambientes de aprendizagem híbrida


  3. Tales2go

    É verdade que este não é um aplicativo de leitura, pois é usado para audiolivros, mas pode ser uma boa solução para os alunos ouvirem as grandes obras-primas literárias. Lembre-se de que muitos de nós começaram ouvindo as histórias que pais e avós costumavam ler ao pé da cama. Por que não experimentar isso com alunos de todas as idades que não têm paciência para ler? Talvez eles ainda prefiram ouvir histórias. É como matar dois coelhos com uma só cajadada. Ao mesmo tempo, os alunos podem se familiarizar com as obras de grandes escritores e se tornar bons ouvintes, uma habilidade que será útil em suas vidas pessoais e profissionais.

  4. Perusall

    Este é um leitor eletrônico social desenvolvido essencialmente para alunos universitários. Em vez da gamificação como motivador, comumente usada em muitos aplicativos de leitura, o Perusall seguiu outro caminho, tornando a leitura uma experiência social. Os alunos podem fazer anotações em documentos ou livros, comentar e responder a comentários. É um pouco parecido com um seminário de literatura on-line, no qual alunos e professores comentam parágrafos, compartilham suas ideias e trocam anotações. Faça um teste, especialmente se você deseja motivar os alunos universitários a elaborar trabalhos de leitura.


    Leia mais: 5 Recursos Edtech para testar neste ano


Resumindo

Existem muitas maneiras com as quais os alunos podem adquirir o hábito da leitura. Alguns podem se sentir incentivados por recompensas e medalhas, enquanto outros podem gostar de escrever e ilustrar seus próprios livros e descobrir o maravilhoso mundo da literatura. Alguns talvez prefiram ouvir, enquanto para outros, a leitura pode ser uma experiência mais agradável ao envolver a interação social com colegas e professores. Encontre a abordagem certa e ajude-os a criar um bom hábito: o hábito de ler, se possível, mais de 17 minutos por dia.

Fique por dentro! Manteremos você atualizado com as dicas e recursos EdTech mais valiosos. Inscreva-se e nunca mais perca uma postagem!