Com o advento da Internet, estamos nos tornamos cada vez mais presentes no mundo on-line. Esse cenário inclui seus próprios conjuntos de regulamentos que precisamos cumprir. O fato de existirmos nesse ambiente, trabalharmos, aprendermos, fazermos negócios e nos comunicarmos como fazemos na vida real nos torna cidadãos desse mundo digital.

Como cidadãos digitais, temos direitos e obrigações, e é por isso que é tão importante aprender mais sobre o conceito de cidadania digital.

“A cidadania digital é o desenvolvimento contínuo das normas de uso apropriado, responsável e empoderado da tecnologia.”

Assim, precisamos fornecer ao mundo on-line conteúdo adequado que possa gerar experiências positivas para os outros e reconhecer que nossas ações como cidadãos digitais têm consequências.

No que diz respeito a qualquer ambiente on-line, este deve ser um local seguro em que todos se sintam protegidos e não vulneráveis. Além disso, ele deve promover uma melhor compreensão de todas as suas implicações e contribuir para educar os usuários em direção a resultados positivos de longo prazo. Além disso, como cidadãos digitais, precisamos criar relacionamentos cooperativos e interdependentes que promovam a compreensão mútua.

Em seu livro Digital Citizenship in Schools (Cidadania Digital nas Escolas), Mike Ribble e Gerald Bailey falam sobre o conceito de cidadania digital em sala de aula e como a tecnologia influencia a maneira como as pessoas interagem. Os autores definem nove elementos da cidadania digital:

Os nove elementos da cidadania digital

Como a educação está no âmago de qualquer sociedade, os alunos são aqueles que devem ser educados no uso da tecnologia de maneira responsável, garantindo a segurança do ambiente on-line para as gerações vindouras. Consequentemente, os aspectos da cidadania digital giram em torno do uso da tecnologia para fins educacionais.

Alguns desses elementos estão relacionados à vida dos alunos fora da escola, enquanto outros estão diretamente relacionados à maneira como eles usam a tecnologia em sala de aula.

  1. Acesso digital

    Embora vivamos em uma era digital, nem todos têm acesso à tecnologia. Como professores, devemos estar cientes das necessidades dos alunos e garantir que eles possam usar igualmente os recursos on-line.

    Devido aos avanços nas escolas em todo o mundo, os professores são capazes de oferecer aulas envolventes e motivar os alunos por meio da inclusão da tecnologia em suas aulas. Um número cada vez maior de educadores exige dos alunos trabalhos que devem ser feitas on-line, mas isso apresenta uma desvantagem, uma vez que nem todos os alunos podem pagar por um computador/smartphone e um plano de acesso à Internet. É por isso que os educadores precisam fornecer alternativas adequadas às necessidades de cada aluno. 


    Leia mais: Cinco ferramentas digitais para tornar a sala de aula virtual mais inclusiva


  2. Comércio digital

    Comércio digital refere-se à venda e à compra de artigos on-line e à necessidade de lidar com questões de segurança ao usar dinheiro no mundo digital. A tecnologia também é usada em sala de aula para mostrar aos alunos os possíveis caminhos a seguir em suas futuras carreiras, abrindo caminho para um futuro emprego. Compreender como funciona o e-commerce é um pré-requisito, tanto como clientes potenciais quanto como empreendedores.

  3. Comunicação digital

    A comunicação on-line tornou-se tão comum e tão frequente que os alunos se esquecem de que estão fazendo isso em um espaço virtual. É essencial saber como e o que dizer, pois erros de comunicação acontecem o tempo todo no ambiente on-line. Hoje em dia, o espaço on-line dá voz a quem precisa, e as pessoas podem se expressar livremente. Isso exige que os alunos sejam empáticos e reajam adequadamente tanto on-line quanto offline.


    Leia mais: 8 Maneiras incríveis de motivar alunos online


  4. Alfabetização digital

    É importante para nosso crescimento pessoal estarmos cientes das outras pessoas enquanto estamos on-line ou offline. Isso também contribui para aumentar a conscientização sobre como tratamos uns aos outros em qualquer espaço.

    A alfabetização digital também inclui desenvolver a capacidade de diferenciar entre conteúdo autêntico e falso, que, de outra forma, pode ter um grande impacto negativo na vida dos nossos alunos. Os alunos precisam aprender a decidir qual conteúdo é bom para eles e o que deve ser evitado para poderem levar uma vida equilibrada.

  5. Etiqueta digital

    A tecnologia traz instruções básicas de uso incorporadas, mas, a longo prazo, devemos educar os alunos para que eles as entendam melhor e adquiram “fluência digital”. Isso moldará seu comportamento on-line, e eles terão uma reação positiva, em vez de negativa, a qualquer conteúdo ou comentário. Dessa forma, a atitude on-line se reflete no mundo real, e vice-versa.

    O foco na implementação de regras de etiqueta na Internet trará grandes resultados para as gerações futuras, que terão uma atitude apropriada no mundo on-line. 

  6. Direito digital

    O ambiente on-line abre espaço para interações positivas e negativas. E, assim como na vida real, existem leis que todos devem seguir. O direito digital lida com os direitos e as restrições legais que regem o uso da tecnologia.

    Muitos usuários on-line estão infringindo a lei, de forma consciente ou não, seja bisbilhotando e-mails, envolvendo-se em bullying cibernético ou baixando músicas ilegalmente. Como cidadãos digitais, os alunos precisam conhecer as regras para prevenir qualquer tipo de crime on-line, sem importar a gravidade.

  7. Responsabilidades e direitos digitais

    Como em qualquer sociedade real, o mundo on-line tem seus regulamentos. Isso significa que um usuário tem não só direitos, mas também responsabilidades. Existem regras e políticas que nos tornam responsáveis por nossos atos e ações no mundo on-line, que devem ser seguidas.

    A Internet também pode ser usada para fins nocivos, e as pessoas precisam de estruturas de proteção, por exemplo, contra eventos de bullying cibernético. As escolas devem abordar esse assunto em sala de aula para prevenir esses comportamentos e denunciar qualquer má conduta no ambiente virtual.

  8. Saúde e bem-estar digitais

    Vivemos tanto no mundo on-line quanto no mundo real. As exigências e liberdades do indivíduo devem ser estendidas ao mundo digital. Todas as pessoas presentes no mundo on-line precisam contribuir para o bem-estar coletivo.

    Os alunos devem ser ensinados a se proteger e proteger os outros contra possíveis danos, assim como alertar um adulto, se for o caso. O uso de recursos on-line é um grande benefício, mas todos devem estar cientes dos perigos que acompanham esse benefício.

  9. Segurança digital

    A segurança no mundo on-line é importante, pois as escolas também são muito vulneráveis a ataques cibernéticos. Precisam ser tomadas precauções para garantir a segurança dos alunos. Além disso, ao usar dispositivos na escola ou em casa, os alunos precisam entender as consequências dos seus usos e estar cientes de possíveis ataques. Os professores também devem explicar como evitar que esses ataques aconteçam e como proteger seus dispositivos.

Em resumo

A cidadania digital é o status que todos os usuários on-line devem alcançar, incluindo os alunos. Com essa cidadania, vem não só a liberdade, mas também a responsabilidade. 

Assim como os cidadãos do mundo real, os usuários on-line precisam seguir as regras e tentar aproveitar todos os seus benefícios com segurança. Como cidadãos digitais, os alunos precisam estar cientes dos seus comportamentos e de como eles podem afetar as outras pessoas, além de mostrarem empatia e controlar conflitos. 

Fique por dentro! Manteremos você atualizado com as dicas e recursos EdTech mais valiosos. Inscreva-se e nunca mais perca uma postagem!