O ensino a distância é um formato altamente envolvente. A maioria dos alunos sente-se estimulada pela modalidade assíncrona, pois os coloca no centro de sua jornada de aprendizagem. A ampla gama de recursos multimídia, a variedade de plataformas interativas, a autonomia de gerenciar seu próprio tempo e outros recursos aumentam a curiosidade e a motivação. Para a maioria dos alunos, a experiência de aprendizado online é um salto para uma nova maneira de aprender.


Leia mais sobre isso aqui: Adotando a mentalidade assíncrona para um ensino online melhor


No entanto, enquanto professor, você sem dúvida está ciente de que alguns alunos estão sofrendo para fazer essa transição. As razões são inúmeras e vão desde a falta de compreensão técnica e desconforto com a tecnologia até a desorientação na hora de administrar seu ritmo pessoal de aprendizado. Por outro lado, às vezes a causa está no design e na abordagem do curso.

Felizmente, os dados e algoritmos de análise disponíveis na maioria dos ambientes virtuais de aprendizagem irão ajudá-lo a identificar imediatamente quais alunos não estão totalmente engajados e ficando para trás em seus objetivos pessoais de aprendizagem.

Existem várias intervenções, dicas e truques possíveis nesses casos. Agora, vamos explorar algumas maneiras de engajar e motivar o aluno online com dificuldades ou desinteressado. Vamos lá?

1. Presença do professor

Muitos alunos prosperam quando estão no centro de sua jornada de aprendizagem autônoma, mas outros podem sentirem-se isolados ao serem retirados do relativo conforto de “apenas estar na sala de aula”. Ter um professor como guia fornece uma sensação de segurança e confiança que muitos alunos relatam não encontrar no ensino a distância. Portanto, eles podem hesitar em se engajar com a plataforma por conta própria.

O desafio é: como recriar uma presença física nas aulas online sem perder os benefícios da autonomia do aluno? Existem várias maneiras simples de adicionar ao seu curso uma experiência de aprendizagem focada no aluno.

  • Vídeo introdutório: diga “Oi”, filme um curto vídeo introdutório para associar uma pessoa real ao curso, tente incluir uma visão geral e algumas curiosidades pessoais sobre seu interesse e experiência no tópico do conteúdo.
  • Imagens de perfil reais: incentive seus alunos a carregar fotos reais de si mesmos em vez de animais de estimação e avatares. Isso reforçará um senso de interação pessoal ao se engajar no curso e reforçará os aspectos sociais do programa educacional.
  • Links de notícias e e-mails: defina um alerta do Google ou configure alguns feeds RSS que automatizam a entrega de notícias diretamente em sua caixa de entrada. Em seguida, você pode enviar comentários específicos e relevantes para os alunos à medida que eles prosseguem com o curso, lembrando-os de sua presença e checando o interesse. Você pode até personalizar esses itens com base na atividade ou interesse anterior do aluno.
  • Podcast: tente criar um podcast que resuma as atividades da semana e destaque as típicas áreas de dificuldade. Novamente, isso cria uma interação pessoal com o benefício adicional de disponibilizar um resumo para os alunos diretamente em seus celulares para quando eles estão longe do computador.

2. Trabalhos em grupo

Embora você possa ser recebido com algumas caretas ao definir projetos de equipe em uma aula presencial, seus alunos a distância podem se mostrar mais entusiasmados. Por se verem engajados na aprendizagem autônoma por um tempo, eles provavelmente receberão bem a oportunidade de interagir com outros alunos.

Vamos checar algumas coisas a ter em mente ao definir trabalhos em equipe:

  • Designe funções no início: As funções não acadêmicas atribuídas ao instrutor podem ajudar todos no grupo a se sentirem parte do processo. Considere desafiar um aluno que tem dificuldade com o aprendizado online a uma função de alta responsabilidade para dar o pontapé inicial em seu processo. Além disso, considere alternar as funções para atividades mais longas.
  • Certifique-se de que o grupo compreende como a tarefa será avaliada. Eles devem entender claramente quais partes são avaliações individuais e quais notas serão aplicadas para todo o grupo.
  • Certifique-se de que todos os envolvidos saibam como funcionam os recursos disponíveis no LMS, como fóruns, mensagens, vídeo chat e compartilhamento de tela antes de iniciar a tarefa.

3. Avaliação por pares

Normalmente uma característica do ensino superior, este também é um mecanismo poderoso de engajamento online em outras etapas escolares. Ele encoraja os alunos a aprender cooperativamente, respeitando seus colegas e aumentando a noção de que a aprendizagem é uma atividade social. Entender como outros alunos pensam sobre o mesmo tópico pode ser extremamente benéfico e ajudá-los a pensar de forma mais criativa.

Naturalmente, a avaliação por pares no ensino Fundamental e Médio também pode ter suas armadilhas e deve ser administrada com cuidado para garantir os melhores resultados. Algumas dicas e truques incluem:

  • Defina as diretrizes de feedback para os alunos; critérios podem incluir apresentação, gramática e criatividade.
  • Incentive os alunos a começarem suas avaliações com itens positivos antes de passar para os aspectos negativos.
  • A avaliação pelos pares não deve fazer parte da nota geral e os alunos devem saber disso desde o início. No entanto, os alunos que reservarem um tempo para revisar completa e respeitosamente o trabalho de seus colegas podem receber pontos ou notas adicionais.

4. Publicando trabalhos de alunos

Os alunos que se sentem desconectados do processo de aprendizagem online podem ser incentivados a se engajar se você compartilhar seu trabalho com outras pessoas no curso ou até mesmo publicá-lo mais amplamente online. Isso tem o potencial de conectar um aluno desinteressado com uma comunidade de aprendizagem mais ampla, trazendo um sentimento de orgulho ou até mesmo de alegria. Novamente, este pode ser um assunto delicado, dependendo da personalidade de seus alunos.

Tenha sempre em mente que o processo de destacar alguns trabalhos em relação a outros requer transparência desde o início. Você pode usar o recurso de portfólio LMS ao compartilhar o trabalho do aluno com sua turma online, bem como com os pais.

5. Torne o conteúdo relevante para os alunos

A quantidade excessiva de conteúdo pode sobrecarregar os alunos engajados e isolar completamente os desinteressados, mas sabemos como é tentador adicionar todas as informações que julgamos relevantes nas lições. E enquanto a maioria dos alunos terá motivação para trabalhar o conteúdo guiados por seus próprios objetivos de aprendizagem, muitos deles simplesmente desistirão de acompanhar os materiais.

Os alunos precisam ver a lógica por trás do conteúdo. Você deve garantir que cada parte do material tenha relevância direta nos objetivos de aprendizagem para manter os estudantes envolvidos e no caminho certo. A recomendação geral é deixar as coisas interessantes. Tente usar algumas dessas diretrizes:

  • Conteúdo encadeado: em vez de criar módulos lineares, explore a divisão do conteúdo por tópicos. Ao encontrar conexões interessantes no conteúdo e agrupá-las, você pode surpreender e encantar seus alunos e estimular o aprendizado.
  • Conteúdo essencial?: use uma regra prática simples: os conteúdos essenciais, complementares e opcionais devem ser distribuídos em camadas ao longo de cada módulo. Isso garante que até mesmo o aluno desinteressado, que apenas interage minimamente com o curso, poderá reter as informações necessárias – reserve o conteúdo extra para recursos opcionais como leituras e vídeos.

6. Cultive relacionamentos

Os alunos relatam uma maior sensação de satisfação – e suas notas comprovam isso – quando encontram e desfrutam de relacionamentos em seu curso a distância. Um método chave para criar estímulo e motivação online é promover o relacionamento com os alunos. Buscar respostas de outras pessoas não é apenas uma maneira significativa de promover uma dinâmica de aprendizagem saudável, mas também transmite uma habilidade essencial para a vida: pedir e oferecer ajuda.

Algumas técnicas interessantes incluem:

  • Clássicos para quebrar o gelo: apresente os alunos uns aos outros em fóruns ao vivo, incentivando-os a compartilhar algo sobre si mesmos e seu interesse no curso, ou talvez até mesmo peça que cada um envie um pequeno vídeo mostrando quem são e o que esperam obter do curso.
  • Incentive o debate: agende debates online por meio dos fóruns da plataforma e certifique-se de participar e moderar os debates. Incentive alunos descomprometidos com perguntas dirigidas a eles, mencione ideias e trabalhos de experiências anteriores. Estimule-os a compartilhar o que aprenderam e o que pensam com os outros alunos em um espaço seguro e moderado.
  • Avaliação por pares: gerencie e planeje o processo com cuidado e coloque os alunos para revisar o trabalho uns dos outros. Isso criará relacionamentos entre o grupo e ajudará estudantes desinteressados a começarem a se sentir mais próximos da comunidade de seu curso.

7. Use “Regras Mentais”

Você pode se perguntar “o que diabos são regras mentais” ao ouvir falar delas pela primeira vez, imaginando se tratar de “apenas mais um modismo passageiro de pseudopsicologia”. Felizmente, não é o caso.

John Medina é um biólogo molecular que escreveu um livro acessível baseado inteiramente em pesquisas científicas revisadas por pares (sem modismos). Ele reuniu esses fatos conhecidos sobre o cérebro em 12 “regras” para orientar pais, empreendedores e professores. Ele, por exemplo, reforça ideias como a repetição e o poder da informação pictográfica quando se trata de retenção. Ele também possui uma série de dados valiosos sobre estresse, sono e exercícios. Seus capítulos sobre atenção e fiação serão benéficos para o professor que busca compreender o aluno desinteressado.

8. Evolução criativa

As Questões de Múltipla Escolha (QMEs) oferecem aos professores uma maneira significativa de medir a absorção e retenção de conhecimentos.

No entanto, embora alguns alunos possam interagir com o conteúdo de uma maneira envolvente e empolgante, eles podem não estar interagindo com suas avaliações de forma suficiente ou correta. Você também pode descobrir que não está recebendo os dados corretos sobre o avanço de um aluno no curso. Também é verdade que os alunos que passaram muito tempo se preparando para uma avaliação ou aprendendo o material podem se sentir prejudicados por uma avaliação rudimentar de múltipla escolha.

Por fim, as QMEs são criticadas por não avaliarem o pensamento crítico, por serem fáceis de manipular e por não serem centradas no aluno.

Nesses casos, pode ser hora de tentar ser criativo com suas avaliações e experimentar alguns novos projetos para melhorar o envolvimento dos alunos. Algumas técnicas alternativas de avaliação incluem:

  • Desafiar os alunos a enviarem seus portfólios de trabalhos, ensaios, tarefas, projetos ou experimentos ao final do curso, o que conta para uma parte significativa de sua nota.
  • Conduza testes de desempenho individualmente com cada aluno para avaliar seu nível de habilidade e aprendizado.
  • Conduza QMEs, mas mantenha uma parte explicativa onde os alunos possam conceitualizar suas respostas. Isso o ajudará a avaliar sua compreensão mais profunda do tópico e lhes dará a oportunidade de demonstrar seu fio de pensamento – embora sua resposta possa estar errada, seu raciocínio pode valer notas parciais.

Conclusão

Pode ser desafiador quando os alunos se desinteressam de um curso online que passamos muitas horas e dias criando. É relevante enxergar o aluno desinteressado como uma oportunidade de aprimoramento e uma chance de refinar seu curso até que ele tenha um amplo apelo para todos os tipos de personalidades e estilos de aprendizado. Ao utilizar alguns dos métodos que discutimos hoje, espero que seu curso online se torne mais eficaz, útil e valioso.

Como comentário final, gostaria de encorajar você a avaliar seu curso online questionando seus alunos de forma consistente. Você pode se surpreender ao ver como muitos deles estão mais confusos com o fluxo do curso do que com o conteúdo em si. A avaliação constante de seus colegas e o feedback regular dos alunos o ajudarão a manter seu curso simples, eficaz e envolvente!

Fique por dentro! Manteremos você atualizado com as dicas e recursos EdTech mais valiosos. Inscreva-se e nunca mais perca uma postagem!